Ocorreu um erro neste gadget

quarta-feira, 19 de setembro de 2012

SERTANIDADE - Barros Alves



(Uma homenagem a minha terra natal, Mombaça)

Basta-me o cheiro sertanejo da caatinga
quando  o sol se insinua assim, devasso,
e vem roubar olhares das meninas
que nos quintais pirateiam sonho e afagos.

Basta-me o pôr-do-sol, vermelhidão
de lábios carmesins em oferenda,
poema aceso, virgem flor agreste
com cheiro das meninas  do sertão.

Basta-me o anoitecer de plenilúnio
e o olhar de Deus espreitando na amplidão,
e as conversas matutas  no terreiro
e os amores a medo sob estrelas.

Bastam-me madrugadas e cantares
e a musicalidade violeira.
Um verso, uma cachaça, um olhar furtivo,
Um beijo na morena mais brejeira.


Nenhum comentário:

Postar um comentário